Palmas-TO, 17 de junho de 2024

WebMail

Projeto ‘Techinclusão’ oferta cursos de tecnologia e inovação em Arraias, Dianópolis e Porto Nacional

Atualizado em: 07/06/2024 16h39

Os municípios de Arraias, Dianópolis e Porto Nacional já contam com a oferta dos cursos na áreas de tecnologia e inovação ofertados pelo projeto ‘Techinclusão’, que é promovido por pesquisadores da Universidade Federal do Tocantins (UFT) em parceria com a Fundação de Apoio Científico e Tecnológico do Tocantins (Fapto).

Já são mais de 600 alunos atendidos com aulas periódicas dos primeiros conteúdos da formação. Os cursos que iniciaram em maio, são presenciais, com carga horária de 200 horas.

Vale lembrar que a grande maioria dos cursistas são oriundos de grupos sociais em situação de vulnerabilidade no Tocantins, especialmente jovens de 16 a 29 anos, dentre eles mulheres, pessoas com deficiência, quilombolas, indígenas, Lgbtiqia+ entre outros. Nos próximos dias, os municípios de Palmas, Distrito de Luzimangues e Tocantínia também darão início aos cursos. As inscrições ainda não estão disponíveis, mas os interessados podem acompanhar a bio do projeto no Instagram.

Para o coordenador do projeto, professor Dr George França, os cursos vão capacitar os participantes, oferecendo tanto habilidades tecnológicas relevantes, como desenvolvimento pessoal, preparando-os para os desafios do mercado de trabalho. “Estamos oferecendo a oportunidade para que o cursista tenha uma formação completa que atenda às demandas do mercado, com foco maior nas áreas de inovação tecnológica”, explica o coordenador.

George França reforça ainda que o “Techinclusão” pretende ajudar a melhorar a trajetória laboral de jovens, mulheres, pessoas negras, povos originários, estudantes da Educação de Jovens e Adultos (EJA), jovens em ressocialização em cumprimento de pequenas penas ou medidas alternativas do sistema prisional, e pessoas com deficiência - PCD no Tocantins.

“O projeto está mudando a percepção dessa juventude a respeito do mundo do trabalho e as possibilidades que eles podem encontrar na parte da interação com as tecnologias da informação. Ou seja, a missão da inclusão social e digital Iniciou no Tocantins e está se consolidando através do projeto Tech inclusão”, acredita o coordenador.